• Aguas1.jpg
  • Aguas2.jpg
  • Aguas3.jpg
  • Aguas4.jpg
  • Aguas5.jpg
  • Aguas6.jpg
  • Aguas7.jpg
  • Aguas8.jpg

Resultados de la Tercera Convocatoria:
20 proyectos aprobados con una inversión de 21M€ en la frontera hispano-lusa

El Comité de Gestión del Programa Operativo de Cooperación Transfronteriza España-Portugal (POCTEP) 2007-2013 ha aprobado 20 proyectos de cooperación presentados en el marco de la Tercera Convocatoria del Programa. Su inversión total es de 21M€ con una dotación de ayuda FEDER de la Unión Europea de 15,7M€

Más información

Puebla licita en febrero las obras del Centro del Agua

El proyecto tiene que estar ejecutado el 30 de junio l Las iniciativas de Viaqua en Lubián y Hermisende, muy avanzadas

Mas información

Ayuntamiento de Puebla de Sanabria
Puebla de Sanabria é uma das mais antigas vilas de Zamora, documentada pela primeira vez no ano 509, numas actas do Concilio de Lugo, embora esta menção, como muito bem referem autores, pudera referir-se à totalidade da comarca de Sanabria e não só à Vila de Puebla. De qualquer modo, já no século X temos conhecimento da existência de uma "urbe Senabrie" como centro organizativo do seu território circundante. Ë possível que já na altura pudesse existir algum tipo de fortificação na Puebla, tendo sido realizada pelos Reis de León na reconquista ao Sul. Não têm sido encontrados, até a data, achados e vestígios históricos e arqueológicos que confirmem estas teorias.

Beneficiário: Beneficiário Principal

Nome da Entidade: Ayuntamiento de Puebla de Sanabria
NUT III: Zamora
Web: http://www.pueblasanabria.org/

Municipio de Vinhais
O mais antigo documento que conhecemos em que se faz menção do vocábulo – Vinhais – que viria depois a denominar a actual vila de Vinhais é dos meados do século XII, o que não quer dizer que não se trate de designação muito mais antiga nessa época. Trata-se pois da - «Doação ao Mosteiro de São Martinho da Castanheira em terra de Sanábria, Hespanha, de uma propriedade em Vilar d’Ossos – concelho de Vinhais.
O topónimo – Vinhais, - no dizer de alguns historiadores deve provir de data já muito antiga. E, a propósito, escreveu algures, o Abade de Miragaia: «Desde tempos muito remotos a produção principal desta freguesia e deste concelho era o vinho, como está dizendo o seu nome – Vinhais, - terra de vinhas e vinhedos…» E, na verdade é a este saboroso e apreciado liquido, tão abundante em séculos passados, principalmente entre os rios Tuela e Rabaçal, que se deve, a nosso ver, a origem do vocábulo, que na opinião de alguém com autoridade não é termo moderno, apesar da sua forma  não lhe fixar época; depois de se ter aplicado já em substituição do primitivo (briga) , ao local por natureza forte e por certo mais fortalecido do antigo castelo de Vinhais, que ficava a bastantes quilómetros ao Sul da actual vila de Vinhais, (entre os lugares de Nuzedo de Baixo e Vale de Janeiro?),designando por certo, já antes da Nacionalidade, - de modo que o topónimo poderá até ascender ao latim - «viviales» - embora para sua confirmação não tenhamos provas.

Beneficiário: Beneficiário 2
Nome da Entidade: Câmara Municipal de Vinhais
NUT III: Alto Trás-os-Montes
Web: http://www.cm-vinhais.pt/

Ayuntamiento de Rabanales
Este município situa-se na comarca de Aliste, no oeste da província de Zamora, perto da fronteira com Portugal com quem partilha muitas tradições. A vila de Rabanales tem cerca de 500 habitantes e sempre ocupou uma posição importante na região Alistana.
A vila de Rabanales ainda mantém exemplos de arquitetura tradicional em pedra, sendo o seu edifício principal, a igreja paroquial de El Salvador, construída parcialmente com materiais romanos, facto que é visível nos blocos de granito e nas estelas sepulcrais. Esta igreja paroquial, importante exemplo do património cultural, foi construído sob o reinado dos Reis Católicos assim como a capela. Também temos de mencionar como exemplo dos património cultural são as esculturas "fálicas" e alguns restos de fortalezas de época pré-romana.

Beneficiário: Beneficiário 3
Nome da Entidade: Ayuntamiento de Rabanales
NUT III: Zamora
Web: http://www.aytorabanales.es/

Municipio de Vimioso
Vimioso esteve sob jurisdição de Miranda do Douro até ao Reinado de D. Manuel , do qual obteve foral em 1516, com a categoria de Vila.
A Leste de Vimioso, no local denominado Atalaia, supõe-se ter sido o sítio original de um Castro Luso-romano, mas de  raiz pré-histórica.
A própria fortificação terá sido reforçada e sofrido constantes modificações, em consequência das lutas entre Cristãos e Mouros.
Esta Vila está ligada ao título de Conde: o primeiro título de Conde de Vimioso (D. Francisco de Portugal), conferido por D. João III, em 1534.
Vimioso foi vítima da dureza das guerras, enúmeras vezes.
Em 1658, sofreu um ataque de forças espanholas vindas de Alcañices, em 1762, o exército franco-espanhol dirigiu-se a Miranda do Douro, arrasando a fortaleza.
Por toda esta vila e concelho ainda sobrevivem marcas e testemunhos duma história!

Beneficiário: Beneficiário 4
Nome da Entidade: Câmara Municipal de Vimioso
NUT III: Alto Trás-os-Montes
Web: http://www.cm-vimioso.pt/

Ayuntamiento de Benavente
Foram muitos os povos que estavam assentes neste território ao longo da historia. Durante a época dos romanos é conhecido com o nome de Brigeco o Brigecio, que é identificada como una das Vilas Romanas situadas no itinerário Antonino e que unia a via romana entre as cidades de Mérida e Astorga.
Fuero o Carta Puebla de Benavente. Em 1167 a vila de Benavente é conhecida pelo nome de Malgrat e aparece vinculada ao processo de repovoação do território realizado pelos Reis de Leon e iniciada por Fernando II no ano 1164. Este monarca inicia uma época de expansão que vai até os séculos XII y XIII. Fernando II cambia o nome da vila por Benavente, onde reúne a Curia Regia em 1176. Posteriormente Alfonso IX reúne as Cortes na cidade em 1202 e Sancho IV fomenta a sua relevância por meio da concessão de novos privilégios, atraindo a novos povoadores.

Beneficiário: Beneficiário 5
Nome da Entidade: Ayuntamiento de Benavente
NUT III: Zamora
Web: http://www.benavente.es/aytobenavente

Municipio de Lamego
Segundo o autor Pina Manique e Albuquerque citado pelo historiador Gonçalves da Costa (1977, p. 45, vol.1), " o topónimo “Lamego” compõe-se dum radical lígure ou ambro-ilírio Lam, e o sufixo aecus, revelador dum gentílico. Lamaecus era, pois, o nome dum possessor dum fundo agrário hispano-romano, insituído no séc. III junto ao burgo que se ia desenvolvendo à roda do castelo..."
Em tempos remotos habitaram esta região Lígures e Túrdulos que, na fusão com os Iberos, deram Lusitanos. Durante a presença romana, a região de Lamego era habitada pelos Coilarnos, como testemunham  vários achados arqueológicos como aras, estelas, cipos e outros monumentos.

Beneficiário: Beneficiário 6
Nome da Entidade: Câmara Municipal de Lamego
NUT III: Douro
Web: http://www.cm-lamego.pt/

Ayuntamiento de Cuadros
O Município de Cuadros está atravessado pelo rio Bernesga; localizado em direção norte e a 15 km da capital da província de León, tem uma área total de 109 km2. Esta proximidade faz com que o município seja hoje em dia um lugar adequado para viver e desfrutar dos serviços da capital provincial.
Durante séculos, seus habitantes viviam da agricultura, com crescimento de centeio e linho e pecuária, criação de gado, ovinos e caprinos, a exploração de colmeias, a venda de lenha dos seus matos de urz, carvalho e de carvalho, onde era preparado carvão vegetal. Também foi um município onde se preparavam madeira para vender nos mercados das comarcas de Campos e Páramo para a construção de casas.
A sua proximidade junto ao rio Bernesga faz com que tenha uma paisagem onde destaca a vegetação ribeira, com prados, lameiros e vegetação típica, esse facto faz com que neste município se tenham instalado desde há muitos anos uma grande colónia de cegonhas brancas, sendo uma um das mais importantes da província.
O rio é rico em flora e fauna e torna-se um importante espaço para a realização de atividades de turismo e lazer.

Beneficiário: Beneficiário 7
Nome da Entidade: Ayuntamiento de Cuadros
NUT III: León
Web: http://www.aytocuadros.es/

Ayuntamiento de Gordoncillo
O município de Gordoncillo situa-se na ribeira do rio Esla, o que faz com que seja um território rico e fértil, que é também sulcado por afluentes do rio Cea.
Este município situa-se no canto sudeste da província de León, muito perto das vizinha províncias de Valladolid e Zamora.
A riqueza das suas terras faz que Gordoncillo tenha sido historicamente, e ainda mais hoje em dia, um território de grande tradição vinícola.

Beneficiário: Beneficiário 8
Nome da Entidade: Ayuntamiento de Gordoncillo
NUT III: León
Web: http://www.aytogordoncillo.es/

Ayuntamiento de Lubián
Lubián é um município localizado no noroeste da província de Zamora, perto da província de Ourense e perto da fronteira com Portugal, na altura da região histórica de Trás-os-Montes galego. Pertence à chamada alta Sanabria.
A sua localização, junto à Galiza e Portugal, a levou a ser um dos poucos municípios bilíngues da província de Zamora, pelo facto dos seus habitantes falarem nas duas línguas, a castelhana e a galega.
A localização geográfica deste município torna-o um lugar ideal para a prática de atividades de lazer e tempo livre em contato com um ambiente natural espetacular.
Da sua herança cultural, devemos por em destaque a sua arquitetura tradicional de casas em pedra e varandas de madeira, o Castro de época pré-romana das Muradiellas e o Mosteiro da Tuiza sao dois exemplos do património histórico e o Cortello Dos Lobos como exemplo etnográfico que representa a convivência nesta região do gado com o lobo.

Beneficiário: Beneficiário 9
Nome da Entidade: Ayuntamiento de Lubián
NUT III: Zamora
Web: http://www.ayuntamientolubian.es/

Ayuntamiento de Hermisende
Hermisende é um município localizado no noroeste da província de Zamora, perto da província de Ourense, em Galiza e da fronteira com Portugal, vizinho também da histórica histórica região portuguesa de Trás-os-Montes. Pertence à chamada alta Sanabria.
Hermisende pertenceu a Portugal até a Guerra da Restauração Portuguesa. Sua localização geográfica, entre Portugal e Galiza, gerou aqui uma língua cuja origem levanta dívidas nos próprios habitantes e visitantes do município, surpreendendo pela sua singularidade, com influências da Galiza e Portugual.
Todas as aldeias do município caracterizam-se por possuírem bens patrimoniais, pondo em destaque as suas casas em pedra com varandas de madeira, a Igreja de Hermisende, a Ponte do século XVIII sobre o rio Tuela e o próprio vale que é um belo monumento natural.

Beneficiário: Beneficiário 10

Nome da Entidade: Ayuntamiento de Hermisende
NUT III: Zamora
Web: http://www.hermisende.com/